Como Surgiu


O blá, blá, blá da história...
Nunca me vi como blogueira... Piorou de moda, mas para quem me conhece sabe que isso seria apenas consequência.  Bem, o blog surgiu como um espaço para propor o resgate da autoestima feminina. De fato, quando surtei da noite para dia - totalmente inspirada e incentivada por amigas, Tainã Ferreira foi a que mais levantou bandeira – me dei conta que podia dar pittaco com tal finalidade.
Foi estranho, pois mal sabia usar a ferramenta do blog, ai de mim se não fosse por Thaís Seixas (ruadeflores.com.br)... Aos poucos me vi “blogando” e confidenciando sensações com as leitoras.
Com nome carenrp comecei a blogar (aiaiaia), mas mesmo assim achava que ter este nome em um blog para falar do universo feminino estava muito longe da ideia, acho que isso refletia o conflito cravado por mim entre a moda e as relações públicas. Lógico que a mudança era necessária e isso veio à tona quando comecei a questionar a proposta e o atual nome com meus amigos.
E entre diversas tempestades de nomes, eis que o meu namorado (Vitta Régis) considerou tudo isso uma forma de dar pittacos. Rsrsrs
Confesso que não fui adepta à primeira vista ao nome pittaconamoda, mas não posso negar que a fundo ele encontrou um ponto chave para traduzir a ideia do blog. A ideia de não ditar regras e nem estabelecer um regulamento do certo e errado. O que quero é propor e fazer com que o leitor reflita sobre o seu corpo e como pode valorizá-lo!
E a nomenclatura Pittaco na Moda só veio concretizar algo que já fazia com amigas e com a família. Não tenho formação em moda, mas tenho formação em imagem pessoal... Alguém viu alguma semelhança nisso? Hamram...
Mais do que nunca acredito que a moda deve ser um benefício para as pessoas e não uma luta embasada em gastos com roupas de loja de grife, look de passarela e o pior de conflitos internos entre aparência, essência e modo de vida.
A moda para o Pittaco na Moda pode até ser considerados um aperitivo à beleza, mas nunca sem desfavorecer o respeito à individualidade de cada um (seja esse um quem for).
 
E vamos aos pittacos?
por Cáren Cruz

0 comentários:

Postar um comentário